Digital clock

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Educação Proibida - O Documentário

Hoje de madrugada assisti a parte deste documentário da TV Escola e fiquei impressionado com as coisas em comum que a Argentina tem com o nosso sistema educativo e também com os problemas comuns que existem pelo mundo.
A primeira coisa que chama atenção é que a Argentina tem um IDH de primeiro mundo como vocês podem ver em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_%C3%8Dndice_de_Desenvolvimento_Humano
O IDH dela é 0,836, o que a coloca na posição n.o 40 no grupo de países muito desenvolvidos do primeiro mundo, diferente do Brasil que tem o índice 0,755, posição 75 e está no grupo de países em desenvolvimento. Entretanto, como mostraram no documentário, os problemas são os mesmos do nosso país, as crianças não gostam de ir à escola, geralmente vão lá obrigadas pelos pais, ficam entediadas, e não raro, desrespeitam e desafiam os professores, neste último item, entretanto, no nosso país é pior, porque atualmente os professores são até agredidos físicamente! Mostraram lá que na Argentina as escolas sempre têm algum tipo de muro, ou físico ou com plantas e que as crianças precisam, muitas vezes, serem vigiadas para não fugirem da escola. Fizeram um apanhado geral, começando na origem da escola da Grécia antiga, mostrando que o ensino de Atenas era desenvolvido em campo aberto, sem espaços fechados e que a criatividade era incentivada. Compararam com o ensino de Esparta que era voltado para a guerra e utilizava tortura e castigo nas crianças para moldar-lhes o pensamento e o caráter, numa espécie de "lavagem cerebral", o que aliás, parece que acontece até hoje, com exceção da tortura física. Outra coisa que abordaram lá, é que o modelo de escola que existe atualmente no mundo, é igual em todos os lugares! Vejam! Em TODOS OS LUGARES, e teve origem na escola prussiana do século XVIII! E permanece até hoje disseminado pelo mundo. As escolas públicas têm como função perpetuar as ideologias do governo e adestrar (usaram exatamente este termo), as crianças para serem unidades de produção e pensarem de modo padronizado, tolhendo-lhes a criatividade, que é flagrantemente reprimida, excluindo os diferentes e ensinando-lhes um monte de coisas que raramente vão ser úteis em suas vidas. Outro argumento apresentado é que o ser humano, e as crianças em particular, não precisam de agentes externos que lhes moldem a curiosidade e a vontade de aprender, porque isto já é nato da criatura humana. Nós nascemos para aprender. Por outro lado, no ponto de vista do documentário, e eu sou inclinado a concordar, o modelo de escola que temos pelo mundo, desestimula a vontade de aprender e faz as pessoas ficarem acomodadas e ocupando, para usar um termo atual, a sua "área de conforto" (ilustração minha, não tem nada a ver com o documentário). Em resumo, a sequência é sempre a mesma: você é adestrado para ir para a escola secundária, depois para universidade, depois conquista um diploma (se não for excluído do sistema), e depois vira "unidade de produção" para trabalhar e consumir, alimentando o modelo capitalista que controla o mundo.
Para finalizar, outra coisa que me chamou atenção é que os artistas já enxergam isto tudo há muito tempo! Vejam, estas letras de música que colocarei logo abaixo. Eu usei o exemplo da música porque é uma das artes que muito me agrada.
Quando Você Crescer
Raul Seixas
O que que você quer ser quando você crescer?
Alguma coisa importante
Um cara muito brilhante
Quando você crescer
Não adianta, perguntas não valem nada
É sempre a mesma jogada
Um emprego e uma namorada
Quando você crescer
E cada vez é mais difícil
De vencer
Pra quem nasceu pra perder
Pra quem não é importante...
É bem melhor
Sonhar, do que conseguir
Ficar em vez de partir
Melhor uma esposa ao invés de uma amante
Uma casinha, um carro à prestação
Saber de cor a lição,
Que no
Que no bar não se cospe no chão, nego
Quando você crescer
Alguns amigos da mesma repartição
Durante o fim-de-semana
Você vai mais tarde pra cama
Quando você crescer
E no subúrbio, com flores na sua janela
Você sorri para ela
E dando um beijo lhe diz:
Felicidades
E uma casa pequenina
É amar uma menina
E não ligar pro que se diz
Belo casal que paga as contas direito
Bem comportado no leito
Mesmo que doa no peito
Sim...
Quando você crescer
E o futebol te faz pensar que no jogo
Você é muito importante
Pois o gol é o seu grande instante
Quando você crescer
Um cafézinho mostrando o filho pra vó
Sentindo o apoio dos pais
Achando que não está só
Quando você crescer
Quando você crescer
Quando você crescer
Tudo igual
Vai ser exatamente o mesmo
E do Pink Floyd:
Another Brick In The Wall (Outro tijolo no muro)
Vou usar tradução do Google para acelerar porque isto toma algum tempo, apenas colocarei algumas correções minhas, porque a tradução automática às vezes "pisa na bola"! =)
Pink Floyd
Parte1
Daddy's flown across the ocean
Leaving just a memory
Snapshot in the family album
Daddy what else did you leave for me?
Daddy, what'd'ja leave behind for me?!?
All in all it was just a brick in the wall.
All in all it was all just bricks in the wall.
"You! Yes, you behind the bikesheds, stand still lady!"
When we grew up and went to school
There were certain teachers who would
Hurt the children in any way they could
(oof!)
By pouring their derision
Upon anything we did
And exposing every weakness
However carefully hidden by the kids
But in the town it was well known
When they got home at night, their fat and
Psychopathic wives would thrash them
Within inches of their lives.
Quando crescemos e fomos para a escola
Havia certos professores que
Magoavam as crianças, em qualquer forma que poderiam
(Oof!)
Ao despejar seu escárnio
Após qualquer coisa que fizéssemos
E expondo cada fraqueza
No entanto cuidadosamente escondido das crianças
Mas na cidade era bem sabido
Que quando chegassem em casa, à noite, as suas esposas gordas e psicopatas iriam castigá-los
Cada polegada de suas vidas.
Parte 2
We don't need no education
We dont need no thought control
No dark sarcasm in the classroom
Teachers leave them kids alone
Hey! Teachers! Leave them kids alone!
All in all it's just another brick in the wall.
All in all you're just another brick in the wall.
We don't need no education
We don't need no thought control
No dark sarcasm in the classroom
Teachers leave us kids alone
Hey! Teachers! Leave us kids alone!
All in all it's just another brick in the wall.
All in all you're just another brick in the wall.
Nós não precisamos de nenhuma educação
Nós não precisamos de controle mental
Nada de sarcasmo na sala de aula
Professores deixem as crianças sozinhas
Ei! Professores! Deixem asas crianças em paz!
No final, é apenas mais um tijolo no muro.
No final, você é apenas mais um tijolo no muro.
Nós não precisamos de nenhuma educação
Nós não precisamos de nenhum controle de pensamento
Nada de sarcasmo na sala de aula
Professores deixem nós crianças a sós
Ei! Professores! Deixem nós crianças em paz!
No final, é apenas mais um tijolo no muro.
No final, você é apenas mais um tijolo no muro.
"Wrong, Guess again! 2x
If you don't eat yer meat, you can't have any pudding.
How can you have any pudding if you don't eat yer meat?
You! Yes, you behind the bikesheds, stand still laddie!"
Parte 3
I don't need no arms around me
And I don't need no drugs to calm me
I have seen the writing on the wall
Don't think I need anything at all
No! Don't think I'll need anything at all
All in all it was all just bricks in the wall.
All in all you were all just bricks in the wall.
Eu não preciso de braços em volta de mim
E eu não preciso de drogas para me acalmar
Eu vi a escrita no muro
Não pense que eu preciso de alguma coisa
Não! Não acho que vou precisar de alguma coisa
No final, foi tudo apenas tijolos no muro.
No final, vocês todos eram só tijolos no muro.

Link com informações sobre o programa: https://www.hagah.com.br/tv/programa/educacao-proibida-20160701-0330

sábado, 19 de dezembro de 2015

EFEITO ESTUFA

"O sistema climático terrestre muda em resposta a variações em fatores externos incluindo variações na sua órbita em torno do Sol[1] [2] [3] , erupções vulcânicas[4] , e concentrações atmosféricas de gases do efeito estufa. As evidências empíricas e a compreensão dos mecanismos físicos que regem o sistema climático terrestre apontam para os gases estufas emitidos pelos seres humanos como causa do aquecimento global recente (últimos 40 anos), e daí consenso científico[5] [6] neste sentido. Embora os seres humanos emitam gás carbônico desde o início da Revolução Industrial, sua influência só se tornou discernível do ruído da variabilidade natural de temperatura por volta da década de 1970[7] ."

"Em tese, vários fatores poderiam ser responsáveis por um aquecimento do sistema climático terrestre. No que diz respeito ao aquecimento rápido observado desde a segunda metade do século XIX, no entanto, as evidências observadas, sintetizadas principalmente no Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, apontam que o aquecimento é uma realidade inequívoca e que, com grau de confiança "muito alto" (equivalente a pelo menos 90% de certeza), sua origem deriva principalmente do efeito estufa intensificado pela atividade humana.[43] [33] O relatório também considera "extremamente improvável" (menos de 5% de chance) que essas mudanças sejam explicáveis sem qualquer interferência humana, especialmente considerando que nos últimos 50 anos a tendência das causas naturais sozinhas teria sido provavelmente resfriar o planeta.[44]"

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Causas_do_aquecimento_global

terça-feira, 4 de agosto de 2015

O consumismo e a reciclagem

É estão fazendo um esforço nesse sentido no Brasil, mas tenho visto umas reportagens e parece que isso não é muito bem fiscalizado, tem muitos lugares que coletam mas jogam mesmo é no lixão! :((( Tipo aquela coleta seletiva de lixo que muita gente diz que é misturado tudo no caminhão na hora de coletar. Vc já viu nosso povo levar tudo a sério? Já dizia o presidente Francês Charles de Gaulle (http://pt.wikipedia.org/wiki/Charles_de_Gaulle): "Isto não é um país sério!"
Lá no STJ mesmo tem uns caixotes separados, pintados e com cartazes de lixo eletrônico, eu tenho colocado algumas coisas lá. Mas muitas vezes que olho lá os caixotes estão vazios, ou eles limpam rápido demais (talvez jogando tudo no lixo comum) ou as pessoas não estão colocando as coisas lá, infelizmente nosso povo não é muito conscientizado dessas coisas. Andei fazendo umas consultas aí pela Web e existem Universidades espalhadas pelo Brasil que recuperam os aparelhos e redistribuem para áreas mais carentes, ou desmontam as peças (como você falou) que não servem mais para serem reparadas, mas isto depende de várias coisas, do transporte, da ajuda de ONGs (as que são sérias, porque o que tem de ONG picareta no Brasil não está no gibi!), etc, etc. Quando você desmonta uma máquina para aproveitar apenas os materiais, existem técnicas de extrair os metais (alguns contatos usam ouro para evitar a oxidação), tem cobre, latão, ouro e outras ligas, tem uns plásticos tbm que acho que podem ser reaproveitados, vidro além de outros materiais, e tem os materiais nocivos e venenosos, principalmente nas baterias que precisam ser descartados corretamente para não poluir a natureza nem envenenar as pessoas, pelo solo, pela água e até pelo ar! As baterias usam vários metais e elementos venenosos, como lítio, mercúrio, cádmio e diversos ácidos e bases, dependendo das tecnologias e modelos delas. É possível retirar só os componentes eletrônicos discretos tbm, aqueles que não são embutidos (nem usam a tecnologia SMD que geralmente implica na destruição do componente quando ele é retirado) dentro dos chips, como capacitores, resistores, transistores e diodos. Além disso tudo, o marketing e as vendas de coisas novas costumam ser muito mais rápidos do que as técnicas e tecnologias de reciclagem! Por isso acho que o caminho seria diminuir a velocidade do consumismo. Isso é parecido com o fenômeno da homeostase dos seres vivos. Tipo assim, se você se intoxica numa taxa que seus órgãos, como o fígado e rins conseguem te desintoxicar, vc se recupera e sobrevive, mas se tomar uma overdose você morre, seu sistema biológico precisa de um tempo para executar estas tarefas, um tempo que tem algum reajuste, algum feedback, mas limitado, se a dose for muito alta, pimba! A natureza é parecida. Um dias desses vi uma reportagem de um sujeito que voou de parapente (na verdade um paramotor, acabei de olhar na Wikipédia ;)) ) sobre o rio Tietê para registrar as mudanças ao longo do rio. Ele mostrou lá que o rio da nascente até uma certa parte é limpo, de água cristalina como era antigamente; depois que entra nas áreas metropolitanas, o pessoal joga as tralhas dentro dele e vira aquele "pirão" fedorento quando entra dentro da cidade propriamente dita, lá quase perto do final, chegando na foz, ele é limpo de novo! =O Ou seja, ele vai se limpando ao longo do percurso, mas ocorre que ele precisa de espaço de tempo para fazer isso, não pode haver uma overdose muito grande de poluição.... O que acontece é que a humanidade está aumentando a produção de lixo com velocidade cada vez mais crescente, até porque a população continua aumentando..... E o consumismo tecnológico opera auxiliando isto daí....

sábado, 6 de junho de 2015

CLICHÊS

Dormi feito uma pedra, até doer as costas e mais do que a cama. Após ressuscitar na luz da manhã, passei a falar comigo mesmo e com meus botões, pensando sobre os fatos da vida. Uma luz se acendeu em minha mente e comecei a meditar sobre o porque de usarmos tantos clichês, chavões e lugares-comuns para nos expressarmos. Chovendo no molhado e fazendo tempestade em copo d'água dei asas à imaginação e fiquei com a pulga atrás da orelha. E como a cabeça vazia é a oficina do diabo, resolvi escrever estas mal traçadas linhas porque Deus escreve certo por linhas tortas. Para não perder o fio da meada, aproveitando o gancho e sem fazer das tripas coração, resolvi tentar mostrar com quantos paus se faz uma canoa e sem querer ser maria vai com as outras e já sendo, me lembrei do meu curso de inglês e caí na real e me caiu a ficha que os povos de língua inglesa também fazem isso de usar frases feitas e clichês. Aliás, a língua deles é tão composta de clichês que eles estranham muito e muitas vezes nem compreendem o que se fala se não lançamos mão de um de um de seus chavões para nos expressarmos. Mesmo que se use da mais correta e cristalina gramática shakespeariana, se a frase não for o clichê apropriado para a situação, o "native" que em geral tem preguiça mental e quer ver o mundo acabar num barranco para morrer encostado, vai querer ver o circo pegar fogo e dizer que nossa sentença "sounds strange"! Tomei meu café, que de café só tem o nome, porque tomo água de coco para evitar a gastrite e dissolver as pedras dos rins, e passei a escova nos dentes e me vesti para trabalhar, dando tratos à bola do porque a gente calça a bota e bota a calça. Montei no meu pé de borracha e fui para o trabalho com um monte de gírias e expressões martelando na minha cabeça. Céu da boca, boca da noite, copo d'água, cobertor de orelha, quem não se comunica se estrumbica, quebrar o galho, dar um nó, fazer um gatilho, dar uma mãozinha, ruim de roda, Sol de rachar, papo furado, amigos do alheio, malhar em ferro frio e outras peças dignas de nota e figurinhas carimbadas de nosso português brasileiro. Mesmo correndo o risco de ganhar um toco, um vaite, as contas, de ser mandado a queimar o chão, fazer a pista, pegar o beco, a braquiara, eu insisto em encher, pelar e torrar o saco ao bater na mesma tecla e ficar igual a disco rachado ou vitrola quebrada e continuar no tema dos clichês. Neste século 21 onde nada se cria e tudo se copia, parece que a criatividade só vai se criar quando as galinhas tiverem dentes. Como dizia o velho guerreiro, eu vim para confundir e não para explicar. E como quem fala demais dá bom dia a cavalo, conversa água e miolo de pote, eu continuou aqui a falar (escrevendo, guardemos as devidas proporções) mais do que o preto do leite. E porque Deus não dá asas a cobra e quem não tem competência não se estabelece, eu continuo vasculhando minha mente à procura de chavões, ditados e clichês que possam ser concatenados produzindo alguma lógica ou mesmo ratificando o saudoso Chacrinha. Aliás, "o finado fulano" também é um chavão das antigas que também era muito usado em outros tempos. Bom acho que já enchi bastante linguiça e tomei muito do tempo de vocês, agradeço a atenção dispensada e vou me já andando pois já está passando da hora. E com a sensação de já ir tarde e já ter morrido e esquecido de cair, eu me já vou, com cacófato ou sem, lhes desejo boa noite, bom dia ou boa tarde, dependendo do adiantado da hora, agradeço penhorado e me desculpo por qualquer coisa. Fiquem com Deus e lembrem-se que cobra que não anda não engole sapo. E tenho dito!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Psiu!!!

Você, jovem! É! Você mesmo! Você que é indiferente às pessoas idosas, aos "velhos" ou "tiozões", ou "vovôs" como costuma chamar. Saiba primeiro que um dia você ficará igual a eles. Se tiver sorte! Senão, morrerá jovem mesmo! Tente se imaginar como eles e faça um esforço para entender porque eles são "chatos", "impacientes", "exigentes", "críticos", "implicantes", "esquecidos", "pés-no-saco" e "xaropes". Será que é porque seus corpos não funcionam mais como os seus, que são jovens, têm todos os hormônios e seus órgãos em perfeito estado? Será porque o peso dos anos já vividos é difícil de carregar? Imagine sua próstata, se você for homem e souber o que é isso, lhe obrigando a urinar frequentemente, porque tem hiperplasia ou câncer, e a levantar várias vezes durante a noite. Imagine você, se for mulher, e tiver incontinência urinária, e tiver que urinar nas calcinhas a cada risada ou qualquer esforço a mais. Eles são chatos porque lhe cobram as coisas que você faz erradas e pensa que estão "suficientemente" certas devido ao seu critério turvo e complacente de quem está embriagado pelos hormônios, pelo "porre" da vontade de viver e tem "muitas coisas para fazer", coisas que muitas vezes são supérfluas, não vão lhe levar a nada e as quais o velho já viveu e sabe plenamente disso? Eles são impacientes porque o tempo que lhes resta para viver é pouco, e eles precisam fazer tudo, inclusive as coisas REALMENTE importantes antes que seu "prazo de validade" termine? Entenda-se morte, neste caso. Será que eles não são exigentes justamente pelo mesmo motivo de serem chatos? Ou seja, não querem ver vocês fazendo as cacas que eles já fizeram, porque sabem que é perda de tempo e que não funciona. Será que eles não são críticos e "implicantes" pelos mesmos motivos? Será que não são esquecidos, pés-no-saco e xaropes porque suas memórias, corroídas pelo alzheimer não funcionam mais como as suas que funcionam agora aguda, precisa e lindamente, (exatamente como as deles quando tinham as idades de vocês),? Lembrem-se: ninguém fica velho, doente, mutilado,
feio, burro e com outras sequelas espontaneamente! (Salvo raríssimas exceções!) Aliás, feiúra, burrice, inteligência, beleza, espontaneidade, talento, e outros atributos desejados ou odiados, nos são dados pela natureza (Deus - na minha opinião), não dependem da pessoa, as pessoas nascem assim, não foi escolha delas, e muitas características não podem ser mudadas, é preciso aprender a conviver com elas até a morte!

        Outra coisa, vocês costumam pensar que porque tem o Google sempre à mão - e por isso usam cada vez menos suas mentes - e saíram da universidade à pouco, estão preparados para a vida e já sabem tudo. Saibam que o Google aceita tudo, assim como o papel. Se você escrever um rosário de mentiras e incorreções nele, as "aranhas" do sistema vão classificá-las do mesmo jeito!
Seu professor doutor da universidade não sabe tudo, nem mesmo todo o corpo docente da universidade não sabe tudo. Nem mesmo Einstein ou Isaac Newton sabiam tudo! A teoria exata e real da refração e da dualidade do comportamento da luz, Newton, gênio reconhecido pelo mundo, não sabia. Ele até fez algumas inferências, suposições ou sugestões, mas, como os sábios mais atuais, ele não sabia! Com certeza Jesus sabia tudo, mas ele era um Deus filho de outro Deus, e não podia contrariar a vontade de seu pai nos dizendo tudo, depois, "tudo" não caberia nas nossas mentes limitadas! Se soubéssemos tudo, ou quase, não estaríamos neste plano, viemos para cá justamente porque não sabemos tudo e estamos aqui para aprender!
   Depois, ainda que os seus professores da universidade soubessem tudo, eles não poderiam lhe passar suas vivências e maturidade, isto é inerente a cada indivíduo! Não há como "queimar esta estapa", você precisa passar por certas e muitas coisas para aprender! Alguém pode lhe dizer que dói, você pode até seguir o conselho e não passar pela dor, mas, você só saberá como ela dói, quanto e quão difícil o é de resistir ou superar, quando ela doer EM VOCÊ!
   Por isso tudo, tenha um pouquinho mais de paciência com os velhos, muitos deles tem um saber que não está nos livros, nem no Google ou em qualquer outra parte da Internet ou do planeta, está somente nas cabeças deles, e morrerá com eles se vocês jovens os ignorarem. Além disso eles são seres humanos que merecem respeito, porque já sentiram e sentem a DOR, muitas vezes sentiram por causa e para vocês, para tentar poupá-los e preservá-los, tentando assim facilitar sua jornada em busca pelo conhecimento e amadurecimento, ainda que eles saibam que muitas vezes isso não adianta! Mas o amor e a consideração que eles têm por vocês, os faz tentar assim mesmo! Façam um esforço e devolvam ao menos uma parte!
    Eu particularmente tenho um profundo respeito pelos idosos e pelos professores, primeiro de tudo porque são seres humanos, depois porque cada um deles, à sua maneira, são professores igualmente. E ensinar, é doloroso, implica em dedicação e amor, por isso eles são íntegros, e dignos de respeito.

Pense nisso...

sábado, 29 de novembro de 2014

Desobrigado

O que eu acho é que a sociedade contemporânea está usufruindo demais do poder de dedução e de opinar das pessoas. Ninguém tem "obrigação" de saber nada! Mesmo nos oceanos e avalanches de informações em que vivemos. Se a pessoa for informada, tudo bem, mas, no meu entender, isto é um "bônus", uma liberalidade, uma generosidade da pessoa com o sistema. O certo é todo mundo ser informado de tudo na hora que se faz um procedimento ou transação, principalmente se for uma transação comercial/financeira/econômica. O que é isso? Todo mundo é "OBRIGADO" a ser esperto e inteligente? E quem não for? Deve morrer? É isso? Voltamos à selva agora; em pleno século XXI, é isso? Na natureza que é assim, quem não se adapta, perece. Mas isso é válido para o ambiente selvagem. Não digo que a natureza não tem inteligência, é óbvio que ela tem, mas dentro do contexto dela. Se você aplica conhecimentos em contextos diversos aonde eles são  aplicáveis, só pode obter resultados errados. O poder de dedução e opinião e até mesmo de discernimento das pessoas, frequentemente é falho, principalmente se for numa situação que envolve dinheiro e economia, até porque as pessoas não acham que têm obrigação de saber tudo, o que está certo, e sempre foi assim. Se você coloca algo no mercado para ser comercializado, você tem "OBRIGAÇÃO" de dizer como funciona, para que serve, se tem garantia ou não, como se usa e tudo mais que for envolvido com o produto! Não importa quantas novas tecnologias e culturas se crie, não importa quantas Internets, nanotecnologias, celulares, Blu rays, Smart TVs, Impressões em 3D, Tablets, clonagens, Googles, redes sociais e quantas mais coisas modernas e de vanguarda se inventem, certas coisas NUNCA mudam!!!! A seta do tempo SEMPRE se move para frente! Todo mundo morre! A chuva sempre cai da nuvem para a Terra, nunca vai ser ao contrário!!! Pense nisso.....

domingo, 23 de novembro de 2014

Os Seres

São seres misteriosos que sangram todo mês. São seres que mudam frequentemente a cor do pelo, como camaleões. São criaturas poderosas que tem o poder de criar a vida e controlar a dor. São entes que confundem e intrigam os homens ao mesmo tempo que governam seus sonhos, os embevecem e os atraem. Envoltos pela luz eletricamente hipnotizante que esses seres etéreos emitem os homens as perseguem por toda a vida e sucumbem aos seus pés como mariposas em volta da luz ou como os lendários antigos gregos seduzidos pelos cantos das sereias.